Like this post
"E se eu te dissesse que penso em você todos os dias? E se eu te dissesse que sempre penso em te ligar? E se eu te contasse, que fico te olhando da janela do meu quarto? E se eu dissesse tudo o que eu sinto? E se…"
Paulo Costa 
"O que você vai fazer sexta á noite? Sabe o que eu queria fazer? falar tudo o que eu sinto e penso pela pessoa que eu gosto, chamaria ela pra sair, assistiria filme, ou só trocaria mensagem mesmo, seria ótimo dormir com uma mensagem de “boa noite” sua. Com certeza dormiria bem e acordaria feliz, mas ainda é sexta de manhã, posso pensar em você o resto do dia, e a noite…a Deus pertence."
Paulo C.
"

Me Apaixonei pela minha vizinha.

Eu não lembro quando ela veio pra cá, mas lembro do primeiro dia que eu vi ela. Ouvia o portão da casa ao lado abrindo, corria pra janela e a via, espiava ela, de longe. Não era nada, só curiosidade. Sempre nos comprimentos com um simples e vazio “oi”. Sempre a via, em qualquer lugar, mas isso não importava, ela era minha vizinha mesmo. Mas logo isso mudou, as espiadas ficavam cada vez mais frequentes, as conversas cada vez mais longas, os olhares cada vez mais…presentes. Eu pensava que coisas assim só aconteciam uma vez na vida, mas não é verdade. Como não me apaixonar por seus olhos, suas conversas, seus olhares e… seu corpo? Poderia ser evitado, mas eu não quis, queria que acontecesse e cada vez mais fui me entregando. Não sei no que isso vai dar só sei que… ela é minha vizinha; minha linda; meu céu? não, meu céu não, mas ela é minha! ela é minha…vizinha.

"
Paulo C.
"A verdade é que nem tudo é elogio. Ou nem precisa ser elogiado. Você precisa ter um descaso com seu melhor amigo. Você precisa descordar da cor da parede do quarto que divide com seu irmão. Tem que ter um contrito entre o filme que você quer e o que a sua namorada quer. Você não precisa gostar de tudo, nem deve. Você precisa de um ponto de vista contrario ao dos outros. Você precisa ter sua própria opinião."
Paulo C.
"Eu acho que esse tempo todo eu tava vivendo em um quadradinho, onde eu me isolava de tudo. Por mais que eu me desse bem com todos, faltava alguma coisa em mim. Eu mal consigo dar um abraço sem hesitar, falta de convivência? não. Falta de costume, falta de amor ás pessoas, falta de tudo, tudo que é bom. Beijo, abraço, conversa, talvez nem tanto conversa, mas beijo e abraço sim. Esses, mesmo que rápidos, fazem falta, fazem diferença."
Paulo C.
"Será mesmo que a gente está predestinado a ficar com alguém? Será que podemos confessar a nossa melhor amiga que gosto dela sem destruir a amizade? Será que alguém gosta da gente, ou a gente gostando desse alguém podemos fazer com que ela goste de nós? Será que a gente pode planejar nosso futuro, e tudo que planejamos vai acontecer,ou ele que decide por ele mesmo? Será que algum dia, nós poderemos ser tudo que quisermos ou isso é só mais uma fantasia?"
Paulo C. 
"As pessoas esqueceram o valor das coisas. Andaram confundidos objetos e pessoas. Vivem pegando frases idiotas do Facebook pra colocar em seus diálogos fúteis. Começaram a namorar hoje, dizem que se amam, blá blá blá e depois terminam. Quando se trata de assuntos do coração dizem que são frias. E ainda quando você tenta fazer algo por elas, elas dizem um simples ” na minha vida mando eu”."
Paulo C.
"O problema é que as pessoas perdem muito tempo, enquanto ficam sentadas assistindo Tv e acreditando que “se for pra acontecer, vai acontecer”"
Paulo C. 
"As pessoas acham que quando é amor, você fica sem reação, perde as palavras, não tem coragem de fazer certas coisas… Mas elas estão erradas. Amor é liberdade, é dizer o que pensa, e mesmo que for uma besteira, não vai ter nada de mais, afinal, é amor, e amor é isso."
Paulo C.